Texto do quando

Quando o comandante anunciar que estamos sobrevoando águas brasileiras, sentirei algo novo. Experimentar sensações novas deixou de ser novidade, cada dia do último ano apresenta-me algo diferente.

Quando as aeromoças solicitarem que os cintos sejam presos, saberei que dentro de mais um minuto vamos pousar. Nesse momento olho pela janela, vejo as montanhas que Cabral reclamou à Sua Majestade o Rei de Portugal alguns anos atrás. Voamos em cima de Niterói, é preciso fazer a curva para acertar a pista. Tantas vezes já voei sobre essas terras, mas dessa vez é diferente.

Quando o avião virar, verei a mais bela vista. A vista que Deus e os santos têm da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Talvez por isso a cidade seja tão maravilhosa, um brinde extra para quem está no Céu.

Quando eu voltar, será dia. Quero ver do avião a Zona Sul; as praias da Urca, o Pão de açúcar, toda gente bonita de pele morena que perambula pela praia do Arpoador. Quero ver das janelas do taxi na saída do Galeão à Zona Norte; a feiura do Caju, os edifícios da Presidente Vargas, na Radial Oeste ver o Maracanã, minha faculdade, as torres das igrejas que se projetam sobre a paisagem, as estações de trem, o samba de Madureira.

Quando eu voltar, será verão nas terras do sul. Rio 40º, cidade purgatório da beleza e do caos nas ruas cheias da Saara. Suor nas caminhadas pelas ruas do meu provincial bairro português.

Quando eu voltar, verei a noite chegar. Com a brisa que vem do mar. Verei o Cruzeiro do Sul, pequeno mas imponente no firmamento. Firmamento do Rio de Janeiro, que figura perpetuamente na Bandeira Nacional. É o céu do Rio de Janeiro que representa o Brasil no universo entre as nações.

Quando eu voltar, comerei todas os pratos. Feijão, melancia, churrasco, comida da mamãe. Suco de caju e bolo de fubá.

Quando eu voltar, não importa onde esteja na cidade, verei o Corcovado, o Cristo Redentor, com seus braços abertos sobre todos cariocas, sobre a Guanabara, refulgindo de estrelas claras. Que lindo!

Quando eu voltar, eu sentirei saudades da Germânia, mas ai é outro texto.

Mas quando eu perceber que esse texto está um pouco longe de se concretizar…

Anúncios

Discorde aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s