Pós em batata-doce frita

“Farei educação física porque é barata, depois meto uma pós em economia”.

Vamos entender a razão do boom das universidades particulares.

No Brasil, por muito tempo, as pessoas eram muito pobres, muita pouca gente tinha nível superior; muita gente ficava feliz em ter nível médio, porque teriam mais chances de ter um emprego. Mas muita coisa mudou. #funny

Houve um boom da classe média, contudo esse boom não foi sustentável em algumas áreas, como educação e moradia. Neste quesito vemos a especulação imobiliária nos centros urbanos (lembro: nos EUA – mercado maduro – isso foi o centro da crise‼). E vamos ver a educação:

  • Aquela pessoa classe-media-emergente tem nos tempos atuais tudo que quis, graças ao crediários em 12x sem juros. Falta uma coisa: chamar a si próprio de doutor;
  • Pessoas que trabalham durante o dia e vêem como única saída a educação para melhorarem de vida;
  • Pessoas que por diversas razões querem estudar do lado de casa… (ou não passaram para uma pública e não querem perder mais tempo).

Foi-se o tempo que ensino médio bastava; hoje gente com diploma de graduação é gari. Existem parâmetros de qualidade mínimos a serem obedecidos. E lembro, se eles existem, existem por alguma razão, foram criados pelo MEC. Pergunto qual base matemática tem um profissional de educação física para emendar uma pós em economia? Sabemos a resposta… Não duvido que ele vá conseguir, brechas na lei existem para isso, mas será realmente que o mercado, o grande deus mercado, vai aceitar esse profissional? Alguém contrataria esse homem para gerir finanças?

Outro caso: um colega cursava o 8º período de uma universidade, que queria muito falar o nome, estava dando em cálculo uma parte (ou seja, não a totalidade) daquilo que eu estava aprendendo no 2º período de uma Escola Federal de Engenharia. Ou estudo num lugar de super-dotados ou existe uma distorção muito grande.

Juntando os cacos do meu pensamento, abrir uma universidade de baixo custo (e quase sempre de baixa qualidade) em qualquer shopping se tonou um grande filão de mercado. Dá lucro. É triste porque algumas pessoas realmente acham que um dia serão doutores em plenitude da palavra. Serão “dôtores”.

“A pós-graduação é um atestado de incompetência” veja em:

**–
Aqui um texto sobre o desperdício de gênios e abuso da dita elite intelectual.
Anúncios

5 pensamentos sobre “Pós em batata-doce frita

  1. Pingback: Sob os céus da Cornualha « Bem-vindo / Welcome

  2. Pingback: Qual é o valor do aluno de pós-graduação stricto sensu? | Pós-Graduando - Tudo sobre a Pós-Graduação

  3. Se o cara passou no exame de ingresso da pós e conseguiu defender diante da banca e passar, não importa que ele tenha feito Artes Plásticas na graduação e tenha se doutorado em Física de Supercordas.

    []s,

    Roberto Takata

    • O problema não é o fato dele mudar de área, que é engrandecedor, mas sim a visão estritamente financeira que o cara tem. Ele nao demonstrou preocupação em fazer Ciência, apenas um desejo de ganhar mais dinheiro com um título qualquer.

      • Se fosse um título qualquer, ganharia mais dinheiro fazendo MBA ou outra especialização. Pós-graduação não é valorizada no mercado. Como professor, em IES particulares terá menos chances – ainda mais se for doutor.

        []s,

        Roberto Takata

Discorde aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s